Pequenos ajustes, Grandes negócios

Há vida inteligente sem Márcio Araújo e William Arão, porém o técnico Zé Ricardo postergou ao máximo remover uma dessas engrenagens que há muito estão paradas, o que acaba impedindo outras de se movimentarem. É nítida a queda de desempenho de outros jogadores, quando os volantes não funcionam, e essa dupla que é titular desde que Zé assumiu, não produz faz tempo.

Nesse jogo contra o Santos, Zé entrou com Cuéllar no lugar de Arão, e deveria ter colocado Márcio Araújo no banco também, mas isso, provavelmente, é mexer muito nas convicções do treinador. O colombiano jogou com toda sua raça característica, deu mais dinâmica na saída de bola, fez um golaço e terminou o jogo com incríveis oito desarmes. Além disso, o time como um todo fez uma excelente partida.

É fundamental e necessária, a sua manutenção entre os titulares, para cada vez mais se adaptar ao ritmo de jogo do Brasil, pois Cuéllar ainda erra em alguns lances na marcação, porém isso só será ajustado com ele em campo e numa sequência de jogos. Ronaldo, e Rômulo também merecem oportunidades, mas para isso, o treinador precisa abrir mão da sua principal convicção, Márcio Araújo.

Não se pode existir titulares absolutos em um time de grandeza astronômica como o Flamengo. É saudável a briga por posições, e com isso ajustes podem e devem ser feitos independentes de nomes e lideranças do elenco.

Saudações RN.

Por: Wesley Paulo

O post Pequenos ajustes, Grandes negócios apareceu primeiro em Coluna do Flamengo – Notícias, colunas, contratações, jogos e mais.


Fonte: Coluna do Flamengo

Deixe uma resposta